Beto Soul

Sobre

BEM MAIOR, o quarto álbum de Beto Soul, exibe maturidade. A proposta é redimensionar sentimentos para além do que se pode ver, nomear e entender. O amor, e suas mais variadas formas de vê-lo e senti-lo, é o tema central do novo trabalho.

Segundo o compositor, com quase duas décadas de carreira, o álbum toca na essência do que deixamos e levamos da nossa passagem por esse Planeta. “O amor como elo entre as pessoas. O verdadeiro legado. A semente que fica para as novas gerações e que o tempo tratará de brotar e fazer florescer.”

Foi durante a turnê do álbum “O lugar que não se vê”, em meio a um longo período de muita reflexão sobre a vida e seus ensinamentos, que BEM MAIOR nasceu. Com ele um convite e uma provocação: permitir que nossa mente e sentidos possam ir além do nosso entendimento. É renascimento depois da dor.

O trabalho, com lançamento previsto nas plataformas de streaming para o segundo trimestre de 2020, apresenta oito canções inéditas e a releitura de “Dois Meninos” (do álbum Gema do Mundo – 2002), todas assinadas pelo próprio artista. A faixa “Todo Amor” ganhou a participação mais do que especial de Mestrinho. Beto Soul chega com seu novo trabalho para mostrar uma outra perspectiva à música popular brasileira. Trazendo uma sonoridade mais “clássica”, respeitando às raízes e origens da música brasileira, e o mesmo cuidado com a poesia e as construções melódicas que marcam a sua obra. A produção e os arranjos de BEM MAIOR são do produtor e multi-instrumentista Sandro Haick.

BIOGRAFIA

Inspirado pelo avô materno, foi no violão dado pela irmã que Beto Soul, paulista de São Caetano do Sul criado na zona leste de São Paulo, descobriu o prazer da música. Não demorou para que viessem as primeiras poesias, seguidas das canções.

O início da carreira foi marcado pela participação em festivais e circuitos culturais, como o Festival Ultra-Som promovido pela MTV. A conquista do primeiro lugar em dezembro de 1998 colocou a música vencedora no CD coletânea, lançado pela emissora em parceria com a extinta gravadora Abril Music. Outra participação importante foi no Projeto Rumos Musicais, realizado pelo Itaú Cultural, que reúne músicas de todo o Brasil em suas mais diversas vertentes.

No início dos anos 2000, Beto Soul já apresentava, na noite paulistana, parte do seu repertório e ainda releituras de grandes nomes da MPB como Caetano, Gil, Djavan, Clube da Esquina, João Bosco e Marisa Monte, entre outros. Era o primeiro álbum em construção.

Com o parceiro da época, Léo Biá, Beto Soul ocupa os estúdios Copacabana e Caverna, no Rio de Janeiro, e dá vida ao projeto no primeiro semestre de 2002. O primeiro álbum intitulado Gema do Mundo tem a direção/produção musical do maestro Julinho Teixeira e conta com a participação de grandes músicos.

Mais Além, o primeiro álbum solo e o segundo da carreira do artista. Consistente e mais livre, gravado no Pro-Studio em São Paulo entre julho e dezembro de 2007, o trabalho passeia por ritmos como o pop, o jazz, o soul e a MPB. No final de 2010 e início de 2011, Beto esteve na Europa, mais precisamente na Espanha e Itália, trabalhando na divulgação do seu álbum Mais Além. Um período de grandes encontros e experiências musicais que geraram ainda imagens despretensiosas do seu cotidiano. O que ninguém poderia imaginar é que, anos depois, as imagens despretensiosas seriam perfeitas para o vídeo clipe de "Ficar sem você“, canção do seu terceiro trabalho, O Lugar Que Não Se Vê, lançado em fevereiro de 2018, nele Beto Soul reúne seis canções inéditas que exploram os mais diversos sentimentos que habitam a alma humana.

BEM MAIOR, o quarto álbum tem previsão de lançamento para o segundo trimestre de 2020. Traz uma sonoridade “clássica” e a proposta de redimensionar sentimentos para além do que se pode ver, nomear e entender. O amor é o tema central do novo trabalho.

Agenda

Deezer
Spotify
YouTube
Instagram